15 de dezembro, as condições de uma poesia

peguei uma poesia do paulo scott e tentei criar as condições pra que alguém pudesse segui-la:
“piso na areia, percebo o bilhete laranja espetado no graveto
seco, “escolha uma dia de verão em que a água esteja muito
fria, aguarde até que uma menina (dessas com menos de
nove anos, com os ossos ainda tenros) entre no mar, sem
que haja alguém por perto, e, sem desvestir as roupas, entre
no mar também e a carregue pela cintura, nadando rápido
até os dois desfalecerem; ela se tornará sereia”, dobro o
bilhete e o enfio no bolso, evito encarar o oceano, algo
me aguarda nas espumas da rebentação”
(Roteiro básico para fabricar sereias)
deixei o bilhete nas areias do posto 6, em copacabana.

Um comentário sobre “15 de dezembro, as condições de uma poesia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s