25 de dezembro, almoço de natal com desconhecidos

em função de uma viagem, hoje não pude participar do almoço de natal da minha família. passei a noite de natal com eles, mas o almoço do outro dia, que acontece há 27 anos na minha vida, dessa vez não deu pra esperar. almocei em uma rodoviária, com mais ou menos 10 pessoas que eu não conheço.

24 de dezembro, contar as estrelas

da janela do meu quarto na casa da minha mãe dá pra ver um bom pedaço de céu
cheguei em casa morta e sem ter feito um nunca
me dá um certo desespero essa situação, mas sempre dá pra resolver, dá sempre pra fazer um nunca
e eu amo quando é assim, um nunca deitada, quietinha, na cama
da minha janela, posso ver 37 estrelas.

24 de dezembro, da horta direto pra panela

meu pai tem uma horta com um monte de coisa fresquinha aqui na casa dele, em patos de minas. hoje eu fiz o almoço, e tudo que eu precisei cozinhar, colhi na hora, no quintal.

23 de dezembro, bateria

mari gogu,
me manda as fotinhas deu tendo minha primeira lição de bateria, por favor
foi um vexame
mas deixou uma supervontade de ano que vem me dedicar a prática ; )

p.s: obrigada pela paciência com a aluna sem coordenação motora nenhuma, viu

23 de dezembro, aprender a fazer pão de queijo

fiz 4 fornadas de pão de queijo com a ajuda da minha tia mariinha. todo mundo gostou. eu acho que ficou meio sem sal, mas agradou boa parte da família. tia mariinha é a irmã mais velha da minha mãe, isso significa que ela foi a primeira filha a receber a receita de pão de queijo da minha avó, que era famosa pelas comidas que preparava lá em guimarânia. isso significa ainda, que eu fiz hoje a tradicionalíssima receita de pão de queijo da família. vamos ver se eu consigo repetir o feito sozinha.

22 de dezembro, seguir um ensinamento poético-terrorista

“Dançar de forma bizarra durante uma noite toda em frente ao caixa eletrônico de um banco”

dancei por alguns minutos em frente a um caixa 24 horas.

um ensinamento do livro “caos. terrorismo poético & outros crimes exemplares”, do hakim bey

21 de dezembro, procura-se

achei um pacotinho com um monte de foto velha minha 3×4 numa gaveta da minha mãe. escrevi atrás delas só: procura-se. e saí espalhando por onde eu andei passando.

21 de dezembro, embrulhar presentes

sinceramente eu prefiro fazer mais 365 nuncas a embrulhar 3 presentes. tarefa quase impossível. suei pra conseguir fazer embrulhos apresentáveis.